WhatsApp chat

 

O que é:

Substituição de uma articulação doente por uma articulação artificial, ou seja, uma prótese, normalmente constituída por componentes metálicos e plásticos (polietileno), cujo objetivo e manter o movimento eliminando a dor.

 

 

 

Joelho

 

Quando o joelho está muito lesionado pela artrite ou por outra lesão, atividades como caminhar ou subir escadas, podem se tornar difíceis em virtude das dores que podem ocorrer mesmo com o indivíduo sentado ou deitado.

Se tratamentos convencionais como medicamentos e o uso de aparelhos que auxiliam a caminhar, não são mais capazes de ajudar, pode ser o momento de fazer uma Artroplastia Total de Joelho.

A Artroplastia da Articulação é um procedimento seguro e efetivo para aliviar as dores, corrigir deformidades no membro e ajudar a retornar às atividades normais.

A Artroplastia Total de Joelho é um dos procedimentos com altos índices de bons resultados tanto em relação a dor quanto em relação a melhora da função.

 

Causas mais comuns de dores no joelho:

A causa mais comum de dores crônicas e disfunção do joelho é a Artrite. Embora haja muitos tipos de artrite, a maior parte das dores no joelho é causada por apenas três tipos delas:

Osteoartrose – Este é um tipo de artrite causado pelo desgaste relacionado à idade. Normalmente ocorre em pessoas com 60 anos de idade ou mais, mas também pode ocorrer em pessoas mais jovens. A cartilagem que amortece os ossos do joelho amolece e desgasta-se. Passa então a haver atrito entre os ossos, o que causa as dores e a rigidez no joelho;

Artrite reumatoide – É uma doença que causa inflamação e espessamento da membrana sinovial que reveste a articulação. Essa inflamação crônica pode lesionar a cartilagem, levando à perda de cartilagem, dores e rigidez. A artrite reumatoide é a forma mais comum de um grupo de doenças chamado de “Artrites Inflamatórias”;

Artrose Pós-Traumática – Pode ser a consequência de uma lesão grave do joelho. Fraturas dos ossos do joelho, ou rupturas dos ligamentos do joelho podem lesionar a cartilagem articular com o tempo, causando dores no joelho e limitando suas funções.

 

Procedimento:

Há quatro etapas básicas no procedimento de Artroplastia do Joelho, que leva em média de uma a duas horas.

Preparação do osso – As superfícies de cartilagem lesionadas nas extremidades do fêmur e da tíbia são retiradas junto com uma pequena porção do osso por baixo delas.

Posicionamento dos implantes metálicos – A cartilagem e o osso retirados são substituídos por componentes metálicos que recriam a superfície da articulação. Essas partes metálicas podem ser fixadas no osso por cimentação ou pressão.

Cobertura da patela – A superfície interna da patela (rótula) é cortada e coberta com um disco plástico. Alguns cirurgiões não fazem a cobertura da patela, dependendo do caso.

Inserção de um espaçador – Um espaçador de plástico cirúrgico é inserido entre os componentes metálicos para criar uma superfície de contato com o menor atrito possível.

 

Recuperação do paciente:

Após a cirurgia é provável que o paciente precise permanecer no hospital por alguns dias.
Haverá episódios de dor que serão administrados pelos profissionais responsáveis, por meio de medicamentos que proporcionarão o maior conforto possível.

O manejo da dor é uma parte importante da recuperação. Será possível caminhar e movimentar o joelho logo após a cirurgia, e, se estiver sentindo menos dor, o paciente conseguirá se movimentar mais cedo e recuperará mais rapidamente sua força motriz.

Também é incentivada a realização de movimentos com o pé e o tornozelo imediatamente após a cirurgia, para aumentar o fluxo sanguíneo nos músculos da perna e ajudar a prevenir o aparecimento de inchaço e coágulos sanguíneos.

A maioria dos pacientes começa a exercitar o joelho no dia seguinte à cirurgia. Em alguns casos, os pacientes começam a movimentar o joelho no próprio dia da cirurgia.

O sucesso da cirurgia dependerá em grande medida de seguir, nas primeiras semanas após a cirurgia, as instruções que o cirurgião ortopédico der sobre os cuidados em casa.

 

Resultados:

A melhora dos movimentos do joelho é uma meta da Artroplastia Total de Joelho, mas a recuperação total dos movimentos é incomum.

Os movimentos da sua prótese de joelho depois da cirurgia podem ser previstos pela amplitude de movimento do seu joelho antes da cirurgia.

A maioria dos pacientes pode contar com as capacidades de estender o joelho substituído quase completamente e de flexionar o joelho o suficiente para subir escadas e para entrar e sair do carro. Ajoelhar-se pode ser desconfortável, mas não é perigoso.

A maioria das pessoas sente dormência na pele em torno do corte. Também é possível sentir rigidez, particularmente nas atividades em que o joelho tenha de se curvar muito.

 

 

 

 

 

Quadril

O quadril é uma junta formada pela cabeça do fêmur que se articula com uma cavidade da bacia chamada acetábulo (articulação coxofemoral).

A Artroplastia do Quadril é uma cirurgia que substitui essa articulação, quando doente, danificada ou fraturada, por uma prótese de metal, polietileno ou cerâmica, capaz de devolver sem dor as atividades de vida diária que haviam sido comprometidas.

 

Indicações:

A Artroplastia do Quadril é indicada sempre que a articulação do quadril estiver muito danificada a ponto do paciente não poder mais executar suas funções e movimentos normais, ou esteja ocasionando dor intensa, não havendo chance de melhoras com outros tratamentos.

Isso costuma acontecer com pessoas que sofrem doenças como a Osteoartrite, Distúrbios Circulatórios da Cabeça do Fêmur, Artrose do Quadril, entre outros.

Na maioria das vezes, a Artroplastia do Quadril é feita em pessoas idosas, nas quais essas doenças são mais frequentes, mas também pode ser utilizada em pacientes jovens, caso aconteça fratura do colo do fêmur ou do fêmur proximal.

 

Procedimento:

Antes da Artroplastia do Quadril devem ser realizados exames pré-operatórios e de rotina.

Para o correto planejamento da prótese devem ser realizados exames de imagem com radiografias, ressonância magnética, entre outros.

Como poderão ser necessárias transfusões de sangue durante a cirurgia, pode-se optar pela retirada de sangue do próprio paciente antes da cirurgia e assim evitar eventuais problemas com a transfusão de sangue heterólogo (de outra pessoa).

Se a articulação estiver muito desgastada, a Artroplastia de Quadril deve ser total, isto é, a substituição tem que ser tanto da cabeça do fêmur como do acetábulo.

A Artroplastia de Quadril pode ser feita mediante anestesia geral ou bloqueio regional e dura aproximadamente duas (02) horas.

 

Recuperação do paciente:

O tempo de permanência no hospital após a realização da Artroplastia de Quadril varia em média de três (03) a cinco (05) dias. Mas o paciente poderá começar a andar com auxílio de andador ou muletas já no dia seguinte à cirurgia.

Após a Artroplastia do Quadril o paciente deve tomar os seguintes cuidados:

  • Evitar levantar objetos muito pesados ou pesos excessivos.
  • Manter um estilo de vida saudável e um peso corporal adequado.
  • Ser moderadamente ativa.
  • Evitar fortes impactos sobre a articulação.
  • Evitar sentar-se em locais ou cadeiras baixas que exijam maiores esforços para levantar-se.

Outros cuidados relativos à vida cotidiana que ajudam na recuperação pós-cirúrgica são:

  • Deitar sempre de barriga para cima e com as pernas afastadas.
  • Evitar girar a perna operada sobre ela mesma.
  • Evitar deitar de lado sobre a perna operada, no primeiro mês após a cirurgia.
  • Ao subir degraus, primeiro deve-se colocar a perna não operada e depois a operada. Para descer, proceder ao contrário.
  • Não praticar atividades físicas pesadas.

 

Resultados:

A prótese de quadril geralmente é muito eficaz e eficiente. O paciente melhora a dor e tem uma importante recuperação dos movimentos, permitindo sentar, andar, subir e descer escadas com mais facilidade. Entretanto, haverá certas pequenas restrições que serão enumeradas pelo médico.

Como em quaisquer articulações mecânicas, os componentes protéticos tendem a se desgastar, à medida que se atritam uns contra os outros. Embora a prótese possa ser substituída no caso de desgaste, um segundo implante raramente é necessário.

Se houver dores pós-cirúrgicas, o paciente pode tomar analgésicos e anti-inflamatórios, sob orientação médica.

A prótese do quadril deve ser monitorada com exames médicos a cada dois (02) anos, para avaliar o desgaste, mas em pessoas com atividades moderadas dura, no mínimo, de 15 a 20 anos.